sexta-feira, 6 de março de 2009

The End


Pois é, acabei de escrever a última linha da história que me acompanhou nos últimos 10 meses da minha vida.
Cheguei a escrever com a minha filha constipada e carente ao colo, com visitas para almoçar em casa, na véspera de Natal, em domingos soalheiros em que só me apetecia fugir porta fora, em sábados de chuva, em que tudo caía cá em casa para se abrigar da neura.
Escrevi com mau humor, bom humor, triste, alegre, doente, cansada, animada, desanimada, inspirada, desinspirada, carente, cheia de amor. Mas sem nunca parar de escrever, porque este trabalho é assim, de uma entrega total. Não se contenta com menos do que isso.
A minha vida foi a deles e a deles um pouco a minha também e torna-se doloroso dizer-lhes adeus e deixá-los continuarem sozinhos, sem a minha ajuda para as decisões cruciais, sem a minha palavra na boca deles para os diálogos românticos, cruéis, enciumados, assassinos, cínicos.
Mas chegou a hora de vos dizer adeus. Força! A história é toda vossa, só têm que continuar a vivê-la sem mim...

28 comentários:

socasmoinhosebicicletas disse...

Muitos parabéns pela nova etapa! Imagino o alívio, a felicidade e o sentimento de missão cumprida (e comprida) que estás a sentir! :-)

Ana C. disse...

Socas, muito comprida mesmo acredita..E obrigada pelos Parabéns.

Ana. disse...

Ana C,

Se te disser que sei exactamente como te sentes, acreditas? Cada uma destas tuas palavras podia ter saído da ponta dos meus dedos! Que raça de empregos fomos nós arranjar!!
Os melhores do mundo!

Beijos e bom fim-de-semana!
;)

Ana C. disse...

Ana, acredito que entendes. Temos os melhores e os mais incompreendidos trabalhos do mundo. Daqueles que exigem entrega sem limites, uma entrega que é muito dificil os outros entenderem...

Melissinha disse...

ó paaaa!
Chuif.

banita disse...

Eu adorava escrever assim como tu!Apesar de ter tido um bisavô escritor, muito conhecido por sinal, acho que não corre nenhuma veia literária neste corpito... Suspiroroooo
Parabéns pelo The End e não te preocupes que eles (as personagens)vão receber os seus(teus) leitores de braços abertos! Vai ser uma bonita simbiose. :o)

Ana C. disse...

Melissa, também estou a limpar a lágrima no canto do olho. Hoje fizémos as (espero que) últimas alterações, após reunião na produtora...

Ana C. disse...

banita, mas pensas que é só dizeres que tiveste um bisavô escritor famoso e mai nada? Quem era, vá, desembucha!

banita disse...

O Alves Redol era tio da minha Mãe, irmão da minha avó, o que faz dele meu tio- avó e não bisavô como afirmei antes (baralhei-me)...
Mas sinceramente... "num beijo cá nada dessa veia, num beijo não"!
Pode ser qua a Banitita tenha herdado, alguma coisa do seu Tio-bisavô (será que é assim?!) ;o)

Ana C. disse...

banita, então és sobrinha neta de um escritor perseguido da Pide? Adorei saber, a partir de agora vais ser banita Redol de seu nome ;)

banita disse...

Precisamente, Ana C.
Mas eu já não vou a Redol, a minha mãe vai... acho que o meu pai não quis talvez com medo de acharem que ele se estava aproveitar da "estrela" da família...
O meu bisavô, o pai do Redol, Redol era comerciante. A minha avó Inocência (também Redol) tinha muito jeito para a escrita e deixou contos e peças de teatro escritas! Tinham um colégio em Vila Franca de Xira, chamava-se Externato Alves Redol.

banita disse...

em homenagem ao irmão.

Jo Ann v. disse...

Ena pa !
Também eu acabei dia 3, antes de vir à Paris. Que alivio !

Clementine Tangerina disse...

Gostava de um dia escrever um post igual no meu blog ;)
Animo, o próximo projecto estará para breve, para te preencher os dias! bjjos*

Ana C. disse...

banita, quer-me parecer que só em história acerca da tua família, tinhas pano para mangas. Quem sabe a tua banita, ou um dos teus gémeos não herda a veia criativa...

Ana C. disse...

Jo Ann V. As nossas lides são diferentes, tu escreves livros (não é?) e eu tenho andado mais nas telenovelas ;) Mas não deixam de ser ambos partos complicados...

Ana C. disse...

Clementine, só tens que correr atrás do teu sonho, dar o primeiro passo. Afinal de contas és dona de um blog de grande sucesso, isso só pode querer dizer alguma coisa ;)
Força!

Jo Ann v. disse...

Nem sei como nao saiu por cesariana :-)
Ah pois, reli agora "guionista" :-D Ha muitos anos que não vejo novelas !!

Cristina disse...

Boa! Mais um livro?

Cristina

Ana C. disse...

Cristina, é mais uma telenovela ;)

Precis Almana disse...

Parabéns e agora descansa!
O vosso trabalho não é nada incompreendido! Quero dizer, vocês é que sabem, mas acho que o reconhecimento do público pelas "histórias" sente-se quando a acompanham... Não chega a vocês? :-(

Izzie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Izzie disse...

Obrigada por teres passado pelo meu cantinho e ainda bem que gostaste do que leste!
Vindo de uma Senhora ada escrita é, com certeza, uma honra.

Quero partilhar que tenho uma IMENSA admiração por quem tem inspiração e talento para escrever... Muito mais por aqueles que têm capacidade para criar histórias, livros...
Eu adoro escrever, adoro ler. O mundo da escrita, da língua e da comunicação é, realmnete, uma fantasia para mim.

Um beijinho e os meus sinceros parabéns!

Ana C. disse...

Precis obrigada! Quando digo incompreendido é pelos que nos estão próximos que muitas vezes não entendem a disponibilidade total que temos que ter para a escrita e exigem muito de nós...

Ana C. disse...

Izzie, muito, muito obrigada pelas tuas palavras. Voltamos a encontrar-nos aqui, ou lá no teu espaço ;)

Izzie disse...

Eu encontro-te aqui muitas vezes. todos os dias cá passo.

Abraço

Izzie disse...

Ana C., as telenovelas que escreves passam na nossa televisão (portuguesa)?

Ai como eu gostava de viver no meio de letras, palavras, personagens, histórias, fantasias...

Deve ser a coisa mais mágica:)!
beijinho

Ana C. disse...

Izzie, passam claro. Umas já passaram na TVI, esta última passa na Sic, agora tarde e a más horas. É a única novela portuguesa na Sic