quarta-feira, 11 de março de 2009

Esta é que é uma história de Bosta...

E porque podia passar um dia inteiro a divagar sobre a bosta e suas variantes e porque o Miguel C disse que este blog era muito arrumadinho, eu tenho que partilhar convosco uma história que nunca esqueci e já lá vão quase 20 anos...
Na minha adolescência conturbada, quando ainda morava em Lisboa, vinha sair para Cascais, porque tinha um grupo de amigos duvidosos por aqui, eu até era uma rapariga certinha, mas divertia-me mais com amigos de má fama, do que com os meus colegas de colégio. O mais inesquecível de todos era o Fred, menino de boas famílias de Cascais, era o gajo mais toxicodependente e bêbado que Deus na terra pôs.
Enganava os pais com promessas de cura e todos os meses frequentava um qualquer centro de reabilitação, para quando saísse, estar reabilitado aos olhos dos pais (coitados daqueles senhores) e conseguir mais uma semana de confiança paterna, logo, mais dinheiro.
Mas um dia os pais fartaram-se e decidiram pô-lo num daqueles centros com trabalhos forçados. Ele tinha que se levantar às 6 da manhã e cuidar da Quinta, dos animais, da natureza. Meu Deus e quem conhecesse o Fred, um gajo poluído e conspurcado pelos mais diversos tipos de produtos tóxicos, sabia que não podia haver pior castigo para ele do que estar em contacto com a natureza.
Um dia o monitor do campo foi acordá-lo pela fresca e disse-lhe: Fred, hoje vais limpar a fossa céptica. O Fred pensou que podia negar-se, fugir, quem sabe tentar o suicídio, mas já o campo em peso o rodeava com sorrisinhos cínicos e praticamente empurraram-no para dentro da fossa.
Bons companheiros, os outros agarrados, decidiram ir cagar de alto à vez. E de cada vez que um acabava de largar a sua poia, puxava o autoclismo e gritava pela janela: Ó Fred apanha lá esta!
Depois de ele me contar esta história, nunca, mas nunca mais me pôs a vista em cima, só a imagem de o ver a limpar a fossa e a ser soterrado em merda, foi capaz de me manter afastada dele para o resto da vida e a minha mãe agradeceu de certeza.

14 comentários:

Ana Paula disse...

Ando aqui a saltitar do teu blog para o do Miguel C. e não sei dizer de qual me ri mais. ´
No teu, depois do ataque de riso, pensei coitado do moço; no dele... acho que até eu já estava a ver merda...
hahaha

Eumesma disse...

Ai, que história mais lindaaaaaaaaaaaaa!!
Agora sim, deixou de ser arrumadinho eheheh
Tadito do moço e tadita de ti agora já percebo porque não dizes "cagar" ou não o consegues fazer assim assim em qualquer lado, é/foi trauma de infancia.
Essa agora fez-me lembrar uma cena do "Quer quer ser bilionário" que me provocou um asco e uma pena ao mesmo tempo do miudo danada..(ainda não viste , pois não??

Ana C. disse...

Ana Paula muito obrigada, nós gostamos muito de competir um com o outro ;)

Ana C. disse...

Eumesma, quando vi essa parte do filme (o filme mais espectacular do ano) disse para mim, ai Fred, Fred....

socasmoinhosebicicletas disse...

E será que o Fred ganhou juízo e se deixou, finalmente, de merdas? LOL

Miguel C. disse...

Mas que bela história de merda hem!! Achas que podemos colocar uma das nossas personagens numa situação semelhante? Bem, talvez não...
;)

Ana C. disse...

Scoas, infelizmente acho que nunca chegou a ganhar juízo, vi-o uma vez ao longe passados muitos anos, na estação de combóios com o ar mais deprimente deste mundo. Coitado do Fred e dos pais dele...

Ana C. disse...

Miguel, se nos apetecer começar a avacalhar a história é uma boa hipótese, mas acho que os nossos meninos não merecem. Fica para uma próxima blogonovela mais enlouquecida :)

MARIINHA disse...

Ainda bem que soubeste essa história de m**** foi remédio santo. Mas podia não ter sido. Por isso é que nós pais temos de estar sempre com a pestana bem aberta.
Beijinhos

Ana C. disse...

Mariinha, hoje em dia é que dou valor às preocupações da minha mãe. Eu andava com muito más companhias mesmo. Mas por um lado era remédio santo para não querer ficar como eles. Sempre tive a cabeça no lugar com as drogas pesadas. Nunca pisei o risco.

banita disse...

Adorei a história do Fred! Vou-me lembrar dele na próxima ida ao WC! LOL

Sílvia disse...

Loool sem comentários... Enfim a veradeira conversa de bosta kakakakak

bjo***

Ana C. disse...

banita, correcção, quando puxares o autoclismo, lembra-te do Fred ;)

Ana C. disse...

Sílvia, conversa de cáca de vez em quando nunca fez mal a ninguém :)