terça-feira, 3 de março de 2009

O Silêncio do Amor parte 1


A mão fria dele passa no caminho do braço arrepiado dela, mas não se detém, apesar de ter sido com esse propósito que se levantou.
Ela olha-o finalmente, enquanto acaba de limpar a mesa com um pano molhado:
- Vai tomar mais alguma coisa? – A voz dela soa-lhe doce, como uma carícia. Ele nem se apercebe que nessa voz não há a menor emoção.
- Mais um café por favor. – A voz dele sai rouca e desafinada de pura emoção, falar com ela sobre nada é a sua dádiva diária.
Artur vê -a afastar-se na direcção do balcão para pedir o café e respira fundo. Diz para si próprio que quando ela se virar lhe vai sorrir. Quer dizer-lhe tudo de uma só vez, tudo o que sente, o que imagina, o que sonha. Quer mostrar-lhe a verdadeira razão pela qual vai todos os dias há mais de dois anos àquele café, àquela hora e se senta naquela mesma mesa, só para poder ser atendido por ela, só para poder vê-la, ouvi-la. Com um bocadinho de sorte, tocar-lhe ao de leve, ainda que por acidente, como hoje...

16 comentários:

Miguel C. disse...

Mais de dois anos?!!? Parece que o Artur precisa de uma injecção de auto-confiança. Rápidamente!

Ana C. disse...

miguel C.
O Artur é um daqueles tímidos sem cura, que sente tudo muito intensamente, mas não consegue falar o que sente.
De qualquer forma, se tiveres uma injecção que possas dar, ele promete que não baixa as calças até aos joelhos (AH Ah, ainda me lembro desse teu post, acho que foi o primeiro que li teu)

Precis Almana disse...

Eu gostava de ser a moça a quem fizessem a corte assim...

banita disse...

Onde está O RESTO? Ana C! Sua mazona! Agora que já fiquei agarrada, podias dizer-me por favor onde leio o RESTO DA HISTÓRIA???
Isso não se faz! É muita maldade junta! E já agora, pões à venda na semana antes da Páscoa, está bem? Assim já posso ler o que acontece ao Artur (por acaso não gosto do nome, mas podia ser pior, tipo adalberto, edmilson ou coisa-que-o-valha) e à empregada de mesa! Sim? Please

socasmoinhosebicicletas disse...

Ai ai ai que o Artur está prestes a levar uma tampa! :-)

Joanissima disse...

: )

Pobre Artur. O mundo não é dos tímidos nem dos mudos.

Ana C. disse...

Precis, eu também. Os tímidos são os que têm os sentimentos mais profundos. Tens que ter mais atenção, talvez haja algum em quem não andes a reparar :)

Ana C. disse...

banita o resto fica para depois...
Também não gosto do nome Artur, mas é o nome dele :)

Ana C. disse...

socas... Está prestes a levar com a tampa, ou não. Quem sabe?

Ana C. disse...

Joaníssima, morro de pena dos Artures da vida. Apetecia-me agarrar neles e abraçá-los a todos.

carlostgc disse...

Parece que vem aí coisa :) ...

em breve tenho uma surpresa para a nossa guionista (suspense)

... até lá, devo dizer (como pelo menos terá acontecido com quase todo o adolescente), já tive momentos (quase) parecidos :)

Ana C. disse...

carlos, uma surpresa? Suspense? Agora deixaste-me a coçar a cabeça.
Quanto ao resto, ainda bem que te identificaste um bocadinho com a situação do Artur :)

Ana. disse...

Pois eu era bem capaz de me apaixonar por este teu Artur... Os homens tímidos arrebatam-me sem esforço, quanto mais com dois anos de mimo...
;)

Ana C. disse...

Ana, é como já disse, os homens tímidos dão-nos vontade de tomarmos conta deles, não é? Ah Ah

Eumesma disse...

Já vou atrasada nos capitulos (queria começar a ler isto com a devida atenção e ás vezes só ao fds é que dá) mas gostei deste começo...
Tb em tempos me apaixonei por um timido, gostava de pensar que seria eu a priveligiada a "abrir a caixinha", e dps?? Bem , dps as coisas não correma lá mto bem...

Mas sim os timidos tem os seus encantos, temos vonatde de tomar conta deles, sim...

Bom começo, vou continuar a ler!

Bjs

Ana C. disse...

Eumesma, os tímidos têm os seus encantos, desde que consigamos que eles deixem de ser tímidos connosco ;)