sexta-feira, 27 de março de 2009

Queixas do Mulherio

Conheço mais do que uma mulher independente, com a sua carreira bem definida que se casou com um suposto monstro. Digo suposto porque tudo o que de monstruoso o homem faz é dito apenas pela boca dela. Ora ela queixa-se aos pais, aos amigos, aos familiares, à cabeleireira, ao tipo da papelaria, a um desconhecido inocente que tenha o azar de se cruzar com a senhora na rua.
Ela queixa-se da frieza do homem, que não liga ao filho, que não lhe liga a ela, que não sai, que não faz um cu em casa, que deixa pelos na banheira (sim é verdade, já ouvi isto), que não pinoca, que não nada.
Fico sempre incomodada quando o chorrilho de queixas vem na minha direcção, sempre acompanhadas de um toque no meu braço com um ar de grande secretismo, pois não tenho intimidade suficiente para lhe responder aquilo que realmente me apetecia responder-lhe. Se estás mal, muda-te. Agora andares a dizer mal do marido a meio mundo e continuares agarrada a ele, quando não tens necessidade disso, é que não.
Eu detesto isto, a sério. Faz-me comichões. Se estamos ao lado de alguém não podemos andar a espetar com o nome dele na lama a meio mundo, a dar-mos conta da nossa vida privada a quem conhecemos e a quem não conhecemos. Se estamos mal com alguém a esse ponto de quase nojo o que raio continuamos a fazer com ele? Ou será que há certas pessoas que não sabem passar sem várias queixas diárias, quase como um vício.
Digam-me lá, os homens também são assim? É que à parte de uma, ou outra ironia sobre a sogra, sobre a mulher em ambiente descontraído (também não gosto, mas não é tão grave) acho que nunca ouvi queixas públicas deste calibre.

24 comentários:

Kitty disse...

E a desculpa para não os deixarem é sempre a mesma...os filhos!
Quando no fundo o que as move é precisamente esse bichinho do mal dizer sem o qual não conseguem viver.
Isto são os chamados amores eternos, estas mulheres é que não os entendem dessa forma, mas estes casos de "mal dizer" sem largar o osso, são casos de amor eterno ehehehehe :)

socasmoinhosebicicletas disse...

Masoquismo ou vício de mal dizer, das duas, uma. Algumas argumentam que preferem continuar acompanhadas mesmo infelizes do que eternamente sós. Fogem da solidão como o diabo da cruz, como se fossem condenadas e crucificadas pela sociedade por não terem macho ao lado. Eu prefiro o pragmatismo, mil vezes só que mal acompanhada. Já estive alguns anos sem ninguém e nem quando ouvia bocas banais e foleiras (para as quais não há cu que aguente) me sentia minimamente diminuída.

C disse...

O medo da solidão de muita gente prova esse tipo de coisas.
Eu, que não tenho grande diplomacia nesse (e noutros) tipo de coisas, normalmente faço sempre a mesma pergunta "por que é que não vais à tua vida?" e, quase sempre, acaba a conversa. Quando não acaba, seguem-se queixas contra o mundo inteiro que não é capaz de lhes porporcionar uma vida como merecem.
Quanto aos homens, acho francamente que são menos de dizer mal.

Cristina disse...

Faz-me muita confusão. Mesmo muita... Uma coisa é um desabafo com uma amiga íntima, outra coisa é o falar ao desbarato...
Sempre achei que se deve preservar a pessoa que está connosco. E ao contar a toda a gente sobre os supostos defeitos, perde-se um sentimento muito importante, o respeito que devia ser mútuo...
Sempre temas interessantes, Ana!

Cristina

Ana C. disse...

Kitty ora aí está uma definição maravilhosa. Amor Eterno :) Odeiam-nos de morte, mas morriam sem eles.

Brisa disse...

O problema é que essas queixas são, na maioria das vezes, para receber miminhos, como se mimo algum lhes fosse resolver os problemas. É isso ou então preferem tudo a estar sozinhas. Não critico, porque é admirável conseguir-se dar um pontapé no que tem e seguir a vida por sua conta. Viver com alguém não é fácil, mas muito mais difícil é estar sozinho. Porém, nem todas têm essa força ou coragem.

Ana C. disse...

Socas pode haver uma certa pressão social sim, tens razão. E quando o relógio biológico começa a fazer tic-tac, elas só querem arranjar um macho para procriar, sem ligarem se é um macho decente, ou não. Depois queixam-se.
Eu estive bastante tempo sozinha e confesso que apesar de me sentir uma alien em certas situações, sempre preferi a minha condição a sofrer mais por amor.

Ana C. disse...

C, eu também tenho a impressão de que os homens são mais recatados na sua intimidade. Mas posso estar redondamente errada, é claro.
As mulheres morrem de medo da solidão e preferem um hábito, ainda que seja um traste, a ficarem sozinhas e bem.

Ana C. disse...

Cristina, um desabafo com alguém íntimo quem já não teve? Mas andar a despejar tudo, mas mesmo tudo a qualquer pessoa que se atravesse no seu caminho acho de um baixo nível gritante. O respeito é zero.

Ana C. disse...

Brisa as queixas de que falo são a desconhecidos, tipo verborreia. O marido em questão nem as ouve, porque elas não dialogam com eles. Outro mal terrível. Nunca se deve lavar a roupa suja em público, muito menos a de um casal. Falo de mulheres independentes, que já falavam mal do dito cujo antes de terem filhos. Se querem ficar na relação deixem de falar mal. Apenas isso.

Carla disse...

Independente e com carreira bem resolvida?
Uma mulher com o perfil mencionado e com queixas do género não encaixa.
Esse tipo de conversa 'barata' é uma falta de respeito enorme e tudo começa aí, quando se perde o respeito...

Melissinha disse...

Acho piada é àquelas que brigam com os digníssimos e vêm queixar-se a nós, para ingenuamente concordarmos com tudo e a dita cuja PATA voltar para ele no dia seguinte e ficar com raiva de quem? De nós, claro, as megeras que tentam virá-las contra os namorados.

Ana C. disse...

Carla há mais mulheres assim do que tu imaginas.

Ana C. disse...

Melissa, podes crer mulher. Quantas se vieram queixar amargamente do grande drama que viviam, que iam deixar tudo e nós tentando ser amigas: Se estás assim tão infeliz, se já ponderaste mesmo bem, então deves fazer o que achas melhor. No dia seguinte faz as pazes com o gajo... Não sabiam estar caladas?

Kitty Fane disse...

Ai conheço uma infinidade delas. Eu acho que se habituam a dizer mal dele a torto e a direito só por sim. Eu tenho uma colega que passa a vida a dizer mal do marido, chega a incomodar. depois já a vi por duas ou três vezes a passear de mãozinha dada com ele, como se fossem o casal maravilha. Não percebo qual o objectivo desta maledicência exagerada. Ou gostam de falar por falar, ou então gostam de sofrer.

Ana C. disse...

Kitty Fane é tão incomodativo, principalmente, porque nunca sabemos o que responder e limitamo-nos a fazer sorrisos amarelos. Acho que é defeito de gaja, mas gostava de saber se com os homens também acontece.

Banita disse...

Eu também gostava de saber a opinião dos homens que lêem o blog da Ana! Então? Há por aí algum homem (que se acuse)?
De resto, concordo com o que o mulherio já disse.

Ana C. disse...

banita isto é só gaijas!!! Cada vez chego mais à conclusão que a blogosfera tem mais mulherio do que gaijario.

Joanissima disse...

ha mulherio que gosta de viver assim. ou aprendes a ouvir ou a fugir... : )))

no fundo, acho que sao felizes à maneira delas.

Ana C. disse...

Joaníssima, são mulheres que podiam ser felizes, mas que têm medo de o ser, pois já se habituaram a viver naquela bolha de tragédia e queixas. Já não sabem viver de outra forma...

Precis Almana disse...

E acho horrível é depois da separação continuarem a dizer mal e porcamente dos pais dos filhos, como se nunca tivessem gostado deles, como se eles tivessem sido sempre uns horrores de homens. Eu, até por respeito a mim própria, nunca disse mal demais de um homem com quem tenha estado porque isso é também dizer mal de mim...

Eumesma disse...

Pessoalmente vivi uma situação complicada com mta necessidade de desabafo, em continuo...
Mas nunca o fiz com ninguém a não ser com a minha mãe, primeiro porque ninguém "tem que levar" com a minhas lamurias e depois porque ninguém entende um camento como os que lá vão dentro, por mto bons intenções que tenham...
Há assuntos que são do foro privado os probbelmas em casais devem-no, a ser não ser que tenhamos uma amiga que saibamos que nos é mesmo intima...e mesmo assim...

E posso te dizer que não , os homens não são assim porque por sistema são mais reservados, essa particularmente de dizer mal do outro elemento do casala é quase exclusivelmente feminina...:-).
mas relamente compreeno-te se ter que gramasr com conversas tão intimas como essa já é de mau gosto , então puxar pelo braço para dar mais enfase á coisa... lol.
A questão não é o quanto se está mal, (há tipas que apanham na cara e lá continuam e lá tem os seus motivos, por exemplo), a questão é que conversas dessas não se tem com quem não se tem intimidade suficiente, ponto!

Olha, diz-lhes que tb tu ás vezes podes ter alguns probelmas, alguns desentimentos com a pessoa com quem casaste e tb não lhes vais dizer a elas!!! ;-)

Ana C. disse...

Precis, mas este mulherio NUNCA se separa, essa é que é questão.
Falar mal dos pais aos filhos é outro departamento altamente censurável, que dava outro post. Mas sim, dizer mal do outro é dizer mal de si. Tens razão.

Ana C. disse...

Eumesma é claro que uma pessoa que está a passar uma fase má no seu casamento precisa de desabafar com alguém da sua confiança. Mas não é o caso, aqui até às cabeleireiras se diz mal e depois nem sequer há vontade de deixar o alvo de tais "monstruosidades". Sinceramente parece-me que elas apenas se sentem bem a dizerem mal e a queixarem-se.