quinta-feira, 2 de abril de 2009

Amigas ou Nem Por isso

Porque é que algumas mulheres são tão sacanas para com as outras? Porque é que em vez de serem solidárias, companheiras no feminino, cúmplices, pois tantas vezes partilham as mesmas angústias, as mesmas batalhas, fazem da convivência em comum uma espécie de competição muda?
Durante muito tempo trabalhei numa equipa em que eu era o único elemento feminino. Só neste último projecto entrou uma colega. Se me senti ameaçada, picada, invejosa? Nem por um segundo. Adorei ter mais um cérebro de mulher a trabalhar connosco. Fazia falta alguém com quem pudesse partilhar algumas angústias que nenhum homem entende.
A amizade no feminino é algo que prezo para além das palavras. Mas penso que amigas,
para o serem com todas as letras, têm que ficar genuinamente felizes pela nossa felicidade. Têm que querer partilhar as nossas vitórias , desejá-las para nós como as desejam para si, nem mais, nem menos.
Será fácil encontrarmos mulheres que sorriam na plateia da nossa vida?
E nós, sorriremos quando as virmos vencer?
Penso que os momentos luminosos são mais difíceis de partilhar do que os escuros. Talvez por aquela secreta, quase muda inveja que as mulheres têm na felicidade das outras mulheres.
Quero acreditar que comigo não é assim. Que aplaudo as vitórias, choro nas tristezas sem reservas, sem amarras, sem entraves.
Desejo apenas para elas aquilo que desejo para mim.
Quero estar à altura dessa palavra funda, cheia de tudo o que importa.
Quero ser amiga, irmã na alma e no espírito.
São os amigos que nos definem, é através dos olhos deles que tantas vezes nos vemos e revemos. Que tantas vezes vemos o que não queremos. Porque nada é mais sincero do que a amizade verdadeira.

25 comentários:

Ana. disse...

Deve ser por isso que sempre me senti mais próxima dos rapazes do que das raparigas.
Colegas e conhecidos tenho muitos, mas das poucas amigas que tenho, são menos ainda as que posso nomear como incondicionalmente Amigas.
;)

C disse...

Sim, tens razão (mais uma vez). Infelizmente, é mais difícil a amaizade entre mulheres. Mas existe!

Carla disse...

Nunca e por todos os lados que andei fiz uma amizade no trabalho. Aplicava-se sempre a máxima que colega não é amiga é concorrente. Curiosamente isso nos homens não acontecia.
A mulher no geral é por natureza invejosa, até me doi dizer isto... É a minha experiência e vale só por isso.
Amigas daquelas que estão presentes em todos os momentos preservo-as e guardo-as desde os tempos de infância. Mais que amigas, são família.
Vibramos com as vitórias e choramos pelas derrotas. Não deixamos nada por dizer mas também por celebrar.
Hoje é difícil de construir amizades assim, somos demasiado máquinas, falta-nos vínculo, falta-nos sobretudo alma...
Perdemos demasiado tempo a pensar porque ela tem e eu não, a fazer contas à vida dos outros.
Ok, já estou a divagar...;)

HannaH Sophia disse...

foi no trabalho que fiz uma das minhas melhores amigas. alguem que vai ficar para sempre.
tive sorte?? acho que sim, muita!!!

pk tens razao, as mulheres conseguem ser umas sacanas umas para as outras...
acho que têm tanto de solidário como de malvado...enfim

eu detesto competitividade, especialmente no trabalho...na vida privada nem se fala!

Melissinha disse...

(Obrigada pela parte que me toca, gostei! :D)


Eu sempre me senti mais próxima de homens do que de mulheres até ter o grupo de amigas que tenho hoje: somos cerca de 10 gajas, todas da mesma idade, todas da mesma profissão - eu sempre tentando mudar, mas pronto :) - e sem qualquer competitividade entre nós, uma autêntica família. Estiveram comigo em momentos terríveis e momentos fabulosos. Aprendi que a acutilância das mulheres pode ter aplicações muito giras que não o tradicional picanço umas às outras.

Ainda sobre trabalhar com mulheres: talvez o clima de competitividade dominante em ambientes femininos se deva à maior dificuldade que temos em nos afirmar. Por mais que pareça ao contrário, acho que as mulheres são mais inseguras nas suas profissões do que os homens - afinal sofrem muito mais pressão do patronato: gajos não engravidam, não parem, não levam filhos ao médico. Tornam-se mais defensivas, porque é-lhes mais difícil provar o seu valor.

kel disse...

A amizade no feminino não é fácil. E custa, muitas vezes, ouvir palavras de felicitação da boca das nossas amigas e, ao mesmo tempo, ver nos seus olhos a inveja, a falsa alegria... Essa competitividade tão frequente entre mulheres, que sinceramente me custa compreender.

Também sempre tive mais facilidade em me relacionar com homens, sobretudo em questões de trabalho. Pelos vistos não sou a única :)

Beijocas*

Ana C. disse...

Ana. subscrevo tudo o que disseste. Não gosto que se generalize a palavra amizade. Há que fazer a distinção entre conhecidos e amigos.

Ana C. disse...

C eu acho é que devia existir mais, porque quando há é das coisas melhores da vida.

Ana C. disse...

Carla porque é que será que com o passar dos anos é cada vez mais difícil fazermos novas amigas? Talvez seja por não termos um passado com elas e tenhamos preguiça de começar, não sei...

Ana C. disse...

Hannah acho que sou a pessoa menos competitiva que conheço. Até chego a ser ridícula...
Mas tiveste sorte porque num meio onde geralmente se quer abrir caminho à dentada, ou seja, em qualquer trabalho, arranjaste uma amizade sincera. Agarra-a.

Ana C. disse...

Melissa és capaz de ter razão. A mulher tem muito mais necessidade de afirmação do que o homem, ainda anda a desbravar caminho nisto de singrar profissionalmente num mundo masculino. Mas continuo a achar que o trabalho deveria falar por si. É triste terem que andar todas a espetar facas para sobressairem...

Ana C. disse...

Kel sei do que falas. Quando nos sorriem, mas no olhar sentimos que não é sincero. Por isso é que digo que uma amiga também se vê nas vitórias...

Ana Paula disse...

(in)felizmente não tenho amigas.
Tenho a minha irmã e a minha mãe e a minha filha. E o meu pai e o meu marido e o meu filho.
Prontos.
Esses são verdadeiros amigos. Para mim, claro.

kel disse...

Obrigada :)

E sem dúvida que as amizades se vêm sobretudo nas vitórias. Sou de opinião que aqueles "amigos" que apenas aparecem para te confortar quando estás menos bem, vêm em busca de encontrar regozijo no teu infortúnio porque dessa forma se sentem melhores e mais fortes que tu. Os amigos verdadeiros, são os amigos de todas as horas, com quem podes passar horas sem dizer uma palavra e o silêncio não ser um incómodo... Acho que se tem vindo a banalizar um pouco os termos e os conhecidos assumiram o estuto de amigos... Eu também acho que devemos fazer uma clara distinção entre uma coisa e outra.

Um dia destes também escrevo sobre isto :)

Beijinhos*

Miguel C. disse...

Onde há muitas mulheres, já se sabe!! Tabalhei numa equipa de 15 em que eu era o único homem! Desvantagens: guerrinhas constantes e ter que levar com as queixinhas de todas!
Vantagens: como eu era o único galo da capoeira estava sempre a ser apaparicado!!!
Mas, no geral, vocês são cabras umas com as outras!!

Ana C. disse...

Ana Paula com esses sabes que podes sempre contar. Mas às vezes faz falta uma amiga fora do círculo familiar...

Ana C. disse...

Miguel como me entristece ouvir isso. Um verdadeiro galinheiro. Mas guerras porquê? Não entendo o mulherio, a sério que não.
Com que então a vantagem de ser galo é seres apaparicado por todas? Seu grande... Galo.

socasmoinhosebicicletas disse...

Pois! Muita gaja junta dá sempre porcaria! Talvez isso seja fruto de alguma insegurança, inveja, ciúmes e os altos e baixos ditados pelas hormonas.
Eu tento sempre dar o melhor de mim numa amizade, mas já me habituei a não ter grandes expectativas em relação às outras pessoas porque infelizmente há uma coisa que se chama egocentrismo e eu entretanto fui vencida pelo cansaço, para além da idade já me ter ensinado qualquer coisa em relação a este assunto.

Ana C. disse...

Socas não me tinha lembrado das hormonas, essas grandes sacanas!!! Mas essas atacam mais durante um curto espaço de tempo. E o resto? Eu também sinto que a idade já me ensinou muita coisa a este respeito...

miúda gira disse...

Pois eu como de costume vou ter de discordar! Não acho nada que as mulheres sejam todas umas cabras umas com as outras.Tenho boas amigas(tenho sorte eu sei), os meus melhores amigos são mulheres! Conheço mulheres extraordinárias e homens tb óbvio! Acho que pessoas mal-formadas, mal-educadas e de mau carácter há nos dois géneros. Infelizmente tb já dei com gente muito reles na minha vida e não me parece que tenham sido mais mulheres que homens.Na minha primeira profissão também éramos quase todas mulheres e claro que às vezes há atritos mas acho que não podemos generalizar, em Medicina tb é quase só mulheres e ainda por cima muitas vezes competitivas, na minha turma somos 18 pessoas e só 3 são rapazes! Eu tenho uma estratégia que até agora tem resultado razoavelmente, quando mulheres me tiram do sério, ignoro, faço-me de parva e conto até 10 para a raiva passar e recuso-me a comentar ou criticar colegas a não ser a alguém da minha absoluta confiança para não haver stresses. É tudo uma questão de aprender a lidar com os bichos em questão e play dead de vez em quando, mas não sou santa por isso não convém abusar da minha paciência pq tb rodo a baiana.

Ana C. disse...

miúda gira, generalizações são sempre perigosas, claro. Mas a verdade é que me irrita solenemente ver mulheres a pregarem rasteiras a outras mulheres. Não me parece que haja esse tipo de guerra cínica entre homens e mulheres muito provavelmente porque eles não se sentem ameaçados por nós. Mas será que também há entre os homens? Como aqui no meu cantinho há muito poucos a aparecerem, fico com a dúvida...

Brisa disse...

Pode ser difícil encontrar uma amiga verdadeira, mas quando se encontra... Há mulheres fantásticas que são a fina flor do nosso género. Já tive o privilégio de trabalhar com algumas e foi muito bom! Infelizmente, são raras, é verdade. E tenho muita pena que não sejamos mais unidas, como os homens são uns com os outros. Mas um dia chegamos lá, tenho a certeza!

Pedro Barata disse...

São tramadas as mulheres! E se lhes dissermos "aquela tua amiga..."! Já não vemos mais a amiga à frente. Caladinho, caladinho! Lol

Ana C. disse...

Brisa, eu também acho que há mulheres fantásticas e sei por experiência própria que se pode ter grandes amigas. Tenho pena que não haja mais solidariedade entre as mulheres.

Ana C. disse...

Pedro, essa é mais uma para juntar ao muro das lamentações feminino.