sábado, 25 de abril de 2009

O (Nosso) Moinho



Tinha prometido à Socas que mostrava aqui o nosso moinho português, em concorrência com os holandeses.
Foi comprado há mais de 20 anos pela minha tia Teresa e o meu tio Charles, tio que trouxe uma costela suíça à família e muito queijo.
Na altura em que foi comprado não passava de uma ruína, mas depois de 20 anos, sim ouviram bem, 20 anos de trabalho exaustivo, pedra a pedra, peça a peça, madeira a madeira, o meu tio com a precisão de um relógio suíço, transformou-o num local bem agradável para se passar um fim de semana romântico, ou aventureiro.
Tem tudo o que é preciso, desde cozinha, a casa de banho. Só não tem televisão, pois ele acha que naquele sítio, com vista até às Berlengas, não se vai para se ver televisão, mas sim para se ouvir o silêncio. Ou quanto a mim, o vento que há para dar e vender. Se não fosse assim, não estava lá um moinho de vento...

19 comentários:

socasmoinhosebicicletas disse...

Que belo moinho e ainda por cima com vista até às Berlengas! Imagino por dentro, deve ser fabuloso.
Então posso depreender que fica na zona Oeste do país, zona privilegiada de férias desde a minha infância. :-)
Obrigada pela partilha, és uma querida! ;-)
Beijinho

Ana C. disse...

Socas nem mais. Fica perto do Vimeiro e por dentro é intimista, tradicional e muito acolhedor sim. Vou tentar arranjar fotos da parte de dentro. Quando te fartares desses moinhos, podes vir passar uns dias a este :)

Princesa Tagarela disse...

...fica pertinho do meu mar de sempre!!

:))))

Ana C. disse...

Princesa Tagarela bem vinda! O teu mar de sempre é do Oeste já vi. Na minha infância também costumava passar férias por lá...

Kitty disse...

Um fim-de-semana dentro desse moinho deve ser divinal. O teu tio tem razão, estando o moinho situado onde está, quem é que precisa de TV?

Ana C. disse...

Kitty é que não há mais nada em volta. Ou vais numa de retiro espiritual, ou vais numa de passar o tempo agarrada a um bom livro, ou last but not least, vais numa de fazer o amor como se não houvesse depois de amanhã... Só assim se supera a falta da tv ;)

Only Words disse...

Hummmm, parece-me tentador esse moinho! Espero que aproveites ao máximo esse espaço e local unícos ;)

A minha Pequena Luzinha disse...

AnaC o seu Blog é melhor que uma novela, dá vontade de cá voltar todos os dias, para ler mais um capitulo. Parabéns!

Francisco disse...

Curiosamente não devo morar muito longe!

hehehehehehehe

Não, eu não moro num moinho, mas sim, na zona existem bastantes e alguns estão muito bem recuperados.

Melissinha disse...

Que giro! :)

Ana C. disse...

Only Words parece parvo, mas pouco aproveito. Às vezes as coisas que estão mais acessíveis são aquelas de que usufruimos menos.

Ana C. disse...

A minha pequena Luzinha (que grande nome) muito, muito obrigada pelas tuas palavras. Continua a voltar que eu continuo a receber-te de braços abertos :)

Ana C. disse...

Francisco já viste os comentários? Muita gente se relaciona com essa zona, incrível, nunca pensei.
Se moras perto talvez seja melhor começares a pensar em mudares-te para um moinho e dedicares-te à farinha. Ah Ah Ah

Ana C. disse...

Melissa quando quiseres ir moer farinha com o Gabi já sabes :)

Eumesma disse...

Hummm...

Passi tantos anos no Vimeiro em ferias de termase praia com os meus pais quando era miuda, devo ter passado por lá vérias vezes...:-)

Acho mto giro esse aproveitamento dos moinhos em sitios de lazer, é diferente...

Pena não o aproveitares muito, poderias sempre escolher uma das opções que aqui destes ihiihihih

Ana C. disse...

Eumesma já nos cruzámos na infância de certezinha. Mas eu não gostava por aí além de ir para aquelas bandas passar férias. Houve uma altura menos má em que iamos uma semanita para o hotel Golfe Mar. Mas o problema é que iamos sempre com os meus avós que passavam todas as santas férias a discutir. Mais tarde divorciaram-se...

Eumesma disse...

Se calhar foste uma daquelas meninas com quem eu brincava todas as tardes na praia de Santa Rita, no mês de Agosto eheheh

Às tantas ainda descobrimos só agora que afinal já nos conhecemos há anos...:-), pelo menos de vista.

Passava todos os dias pelo Golf Mar, achava aquele Hotel ali em cima do penhasco fantástico e custamava eu e meu pai ir espreitar lá para dentro das piscinas hihihih (saudades de outros tempos e das odisseias com o meu papy)
Mas só o admirava porque sempre tivesmos casa alugada numa terrola perto chamada "Toledo" grandes amigos da nossa familia em tempos que já lá vão...
Agora fizeste-me "desenterrar" memorias antigas e boas, brigada por isso. ;-)

Ana C. disse...

Eumesma parece que me estou a ver na Praia de Santa Rita com os meus avós. A minha avó (muito chatinha) tinha a panca das algas. Que tinham muito iodo, faziam muito bem à saúde. Então aparecia-nos com os braços cheios de algas e atirava-nos para cima...
Eu também costumava ficar numa casa arrendada na Maceira. Diz-te alguma coisa?

Pedro Barata disse...

Epah deve ser espectacular ir lá, ainda por cima com toda aquela visão...